GESTÃO DA DOENÇA
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

Na consulta com o seu médico, você pode guiar a conversa com o seguinte documento:

Ao consultar o seu médico poderá direcionar a conversação com este documento.

Ao consultar o seu médico poderá direcionar a conversação com este documento:

BAIXE O GUIA

Ao consultar o seu médico poderá direcionar a conversação com este documento:

Conheça as opções para o manejo da doença


Consulte o seu médico para tomar as melhores decisões


Na consulta com o seu médico, você pode guiar a conversa com o seguinte documento:

Na consulta com o seu médico, você pode guiar a conversa com o seguinte documento:

1
DETECTAR


Durante o teste de ECG, os eletrodos (sensores) que podem detectar a atividade elétrica do coração ficam localizados no seu peito e, algumas vezes, nas suas extremidades. Um ECG mede o tempo e a duração das fases elétricas de cada batida cardíaca.

Fazer os controles médicos de forma regular permitirá ao médico realizar um seguimento do seu estado de saúde de forma próxima e estabelecer um diagnóstico precoce da presença de insuficiência cardíaca. Se você conhece algumas situações que possam favorecer a que ocorra a insuficiência, você pode acudir ao seu médico tratante com a maior brevidade.

Uma opção é a realização de um ecocardiograma para avaliar como está o tamanho do seu coração e verificar seu funcionamento; este exame também permite determinar a fração de ejeção do ventrículo esquerdo. Isto faz referencia à capacidade que tem o ventrículo esquerdo para bombear adequadamente o sangue através do corpo com cada batimento cardíaco.

FEVE significa “fração de ejecção do ventrículo esquerdo”, que é a porcentagem de sangue que é bombeada do coração ao corpo com cada batida cardíaca. Com base no valor da fração de ejecção o seu médico determinará quão bem está bombeando o seu coração.

Como é medida a fração de ejecção (FE)?

A forma mais comum de avaliar a fração de ejecção (FE) é por meio de um ecocardiograma. Este exame geralmente é realizado no consultório de um médico ou na zona de diagnóstico de um hospital.

O valor da fração de ejecção (FE) pode mudar através do tempo, por isso é importante que regularmente seja avaliado pelo seu médico e que ele determine a necessidade de avaliá-lo.

Tabela de faixas de FE típicos:

50–75%

A capacidade de bombeamento do coração é

NORMAL

36–49%

A capacidade de bombeamento do coração se

ENCONTRA DIMINUÍDA

35% y menos

A capacidade de bombeamento do coração é

BAIXA

As pessoas que têm uma fração de ejecção (FE) baixa, de 35% ou menos, têm um maior risco de sofrer de uma Parada Cardíaca Súbita (PCS) ou morte cardíaca súbita (MCS).

Um coração sadio tem uma FE entre 50% e 75%. Isto indica que o coração está bombeando de forma adequada o sangue e é capaz de aportar sangue oxigenado suficiente ao organismo e ao cérebro. Inclusive, um coração saudável não bombeia 100% do sangue do coração durante cada batida, certa quantidade de sangue sempre permanece no coração.

Você poderá determinar a rapidez com que bate o seu coração verificando o pulso. Se identificar que o pulso encontra-se irregular ou lento, consulte o seu médico.

Gire uma mão, com a palma para cima. Coloque o dedo indicador e médio da sua outra mão suavemente na parte interna do pulso, por baixo da base do polegar; a posição é correta se sentir as batidas do seu coração. Conte o número total de batidas durante 1 minuto, ou durante 30 segundos, e multiplique este número por dois.

O pulso também pode ser verificado no pescoço, utilizando sempre os mesmos dedos e realizando o processo de forma similar à anterior.

2
REDUZIR


Se tiver insuficiência cardíaca, poderá ser candidato a um dispositivo cardíaco implantável chamado Terapia de Ressincronização Cardíaca (TRC). Desempenha 3 funções:

Se o seu médico determinar que apresenta falha cardíaca, esta se encontra em avanço e não melhora com o tratamento farmacológico estabelecido, poderá ser candidato a um ressincronizador cardíaco.

O dispositivo é programado com certos parâmetros específicos, os quais são determinados pelo médico levando em conta a condição de cada paciente; desta forma, busca-se que o ritmo elétrico seja restabelecido e que os ventrículos, que são as câmaras encarregadas de bombear o sangue, trabalhem de forma coordenada.

Este dispositivo permitirá que o seu médico realize um melhor controle da sua doença e otimize o seu tratamento para controlar a falha cardíaca. A tecnologia atual permite que o seu médico controle e ajuste o seu marcapasso conforme a sua patologia específica.

3
RESPONDER


Um dispositivo de Terapia de Ressincronização Cardíaca (TRC) é implantado embaixo da pele e administra terapias para tratar ritmos rápidos e irregulares.

Desempenha 3 funções:

Administra terapias para tratar ritmos cardíacos irregulares, interrompidos ou lentos.

Monitora continuamente o coração e administra terapias automaticamente para corrigir os ritmos cardíacos rápidos.

O dispositivo administra terapias para coordenar a ação de bombeamento do coração e fornece um tratamento para ritmos cardíacos rápidos, irregulares ou lentos.

O procedimento de implante não requer cirurgia com o coração aberto e a maioria das pessoas retorna à sua casa em menos de 24 horas.

4
TRATAR


Manter hábitos saudáveis poderá lhe ajudar a prevenir doenças do coração e melhorar a sua qualidade de vida.

  • Mantenha uma dieta saudável: Consuma frutas e verduras, alimentos ricos em fibra, carnes magras, peixe e gorduras não saturadas, como azeite de oliva. Reduza o consumo de bebidas alcoólicas e que contenham cafeína.
  • Faça exercício com regularidade: Tente realizar atividade física todos os dias, por pelo menos meia hora.
  • Maneje os seus níveis de estresse.
  • Evite hábitos prejudiciais, como fumar.
  • Controle a sua pressão arterial de forma regular: Se tiver pressão arterial alta, siga as ordens do seu médico e tome todos os medicamentos formulados ou receitados como indicado.
  • Controle o seu colesterol: Realize de forma regular o controle dos níveis de colesterol. Consuma menos alimentos com alto conteúdo de colesterol e, se for necessário, tome medicamentos para diminuir o nível de colesterol conforme a indicação do seu médico.
  • Maneje o estresse: Reduza o estresse tanto quanto possível. Pratique técnicas saudáveis, como o relaxamento dos músculos, a respiração profunda e o exercício, para manejá-lo.
  • Trate a apneia do sono e os transtornos da tireóide: Se tiver apneia do sono ou um transtorno da tireoides, é importante que procure o seu médico para tratar deles de forma adequada.

Utilizam-se diferentes tipos de medicações para tratar a insuficiência cardíaca. O seu médico pode receitar-lhe uma combinação de medicamentos (betabloqueadores, anticoagulantes e diuréticos, entre outros), com a finalidade de controlar a progressão da doença.

Se a sua insuficiência cardíaca é causada por uma válvula que não funciona adequadamente ou piora por esta situação, é possível que o seu médico considere como opção realizar uma cirurgia cardíaca para reparar ou substituir a válvula. Se a insuficiência cardíaca for grave e irreversível, talvez seja considerado o implante de um dispositivo de assistência ventricular ou uma cirurgia de transplante de coração.

Um dispositivo de assistência ventricular (VAD pelas suas siglas em inglês) é uma bomba mecânica. Quando uma das câmaras naturais do coração (um ventrículo) não funciona de forma adequada, utiliza-se um dispositivo de assistência ventricular (VAD) para aumentar a quantidade de sangue que flui ou circula pelo corpo. Ter implantado um dispositivo de assistência ventricular (VAD) permite, à grande maioria dos usuários com insuficiência cardíaca avançada, ter novamente uma melhor qualidade de vida.

Um dispositivo de assistência ventricular (VAD) consta de:

  • uma bomba acoplada dentro do corpo a alguns dos ventrículos.
  • Um controlador externo, que é um pequeno computador encarregado de supervisionar a bomba.
  • Um cabo de linha de transmissão, que conecta a bomba ao controlador.
  • Fontes de alimentação (baterias externas) para o funcionamento da bomba e o controlador.

O dispositivo de assistência ventricular (VAD) é implantado cirurgicamente no tórax, em um saco que cobre o coração e que é conhecido como pericárdio, para que fique conectado diretamente ao coração no ventrículo esquerdo. Através deste flui sangue rico em oxigênio e o introduz na aorta para levá-lo a todo o corpo. Apesar do pequeno tamanho do dispositivo VAD, este pode bombear um volume de sangue suficiente para diminuir os sintomas da insuficiência cardíaca.

A bomba VAD é conectada diretamente no coração pela parte inferior do ventrículo esquerdo, onde aspira sangue rico em oxigênio e o introduz na aorta. Quando chega à aorta, o sangue pode circular pelo restante do corpo.
Apesar do pequeno tamanho da bomba VAD, esta pode bombear um fluxo de sangue suficiente para diminuir os sintomas da insuficiência cardíaca. O seu médico programará a bomba VAD de modo que forneça a quantidade de sangue adequada para as necessidades do seu corpo.

Há uma linha de transmissão que sai do corpo através de uma pequena incisão na pele e que conecta o dispositivo a um controlador, que é um computador que regulará a bomba. O seu médico programará o dispositivo (VAD) para que proporcione a quantidade correta de fluxo conforme as suas necessidades corporais.

Verifique com seu médico quais são suas opções de tratamento.

Recomendamos que mantenha uma comunicação próxima com o seu médico para monitorar a sua condição e verificar se os tratamentos estão funcionando adequadamente, ou se apresenta sintomas ou efeitos secundários.

Busque ajuda caso apresente alguma emergência. Entre em contato com o seu médico de imediato se a frequência cardíaca for mais lenta que o normal, se sentir que vai desmaiar ou se perceber que tem falta de ar.

CONSULTE AS DÚVIDAS MAIS COMUNS
Compartilha Esta Informação:

Na consulta com o seu médico, você pode guiar a conversa com o seguinte documento:

Na consulta com o seu médico, você pode guiar a conversa com o seguinte documento:



Siga-nos


ESCREVA-NOS


TERMOS E CONDIÇÕES

As informações contidas neste site não constituem um aconselhamento médico. Consulte o seu médico para informações de diagnóstico e tratamento.



Siga-nos


ESCREVA-NOS


As informações contidas neste site não constituem um aconselhamento médico. Consulte o seu médico para informações de diagnóstico e tratamento.